Precisamos conversar sobre a arteterapia e seu poder de mudança interior

Você conhece a arteterapia? A jornada do autoconhecimento por meio da arte pode não garantir as respostas que você procura ou deseja encontrar, mas, certamente, suas descobertas vão surpreender e apresentar novos vieses de vida que você nem sabia que existiam.
Essa percepção não será ditada pelas frases prontas e conceitos instituídos, mas sim, pelas sensações experimentadas no corpo e na alma, em uma fusão eloquente que estabelece o direito de pensar e sentir à sua livre escolha.
Este é um conteúdo intimista, profundo, ao mesmo tempo, despretensioso, que convida você a um mergulho nada raso na desconstrução de padrões de uma maneira leve, permitida e compartilhada.
Ao final, esperamos que você sinta um profundo encantamento, por si mesma e pela forma rara de florescer a própria essência. Vamos?

O que é arteterapia?

As emoções têm importância fundamental no desenvolvimento e nas experiências humanas. A arteterapia é uma prática, uma terapia, um fio condutor de estímulo ao autoconhecimento, utilizando os recursos da arte — dança, música, escrita, pintura, teatro, modelagem, desenhos e expressão corporal.
Ao iniciar um programa de arteterapia você terá a autonomia de reconhecer em si mesma, prazeres, talentos e capacidades que podem ser estimulados em diversos momentos da vida sem aquela reflexão infundada sobre ser adequado ou valer a pena.
A arte tem expressão universal e silenciosa. Você não precisa da verbalização para se conectar com o seu eu verdadeiro — a sintonia acontece naturalmente, pois em algum momento, um desenho, uma música ou mesmo um passo de dança, pode representar a memória de uma história de vida.
O objetivo da arteterapia não é que você seja uma artista por inteiro ou faça disso uma profissão, mas que se transforme pessoal e emocionalmente durante o processo de criação.
Você terá direito, inclusive, de gostar ou não do resultado ao encontrar um significado que só você é capaz de interpretar. É durante a terapia que sua forma de ver a vida e encarar os desafios se tornará mais consistente.
A mensagem subliminar da terapia pode ser traduzida pela utilização das cores ou dos movimentos do corpo. Na medida em que for surgindo uma performance, surgirá também alguém mais confiante, dona das suas vontades, por mais que nada pareça fazer sentido — ao menos não para os outros.

Como ela pode atuar em grupos de mulheres?

Você se lembra, quando criança, uma figura adulta feminina (mãe, avó, tia, vizinha) ditava moda, orientando o que vestir e como se comportar? Na arteterapia você não deve esquecer as bases do seu crescimento, mas compreender que pode e deve abandonar velhos hábitos que não trazem felicidade.
Se antes, algumas cores compunham seu guarda-roupa para conservar a memória de figuras importantes da sua existência, com a arteterapia você entenderá que um banho de loja pode ser fundamental para o autoconhecimento sem, contudo, deixar de lado as reminiscências da infância.
Desde que nascemos, entendemos que as mulheres são referências umas para as outras. Ainda que, em alguns casos, haja atritos e disputas para ver quem vence em audiência e evidência, na maioria das vezes, o clima é de sororidade e respeito, embalado em aconchego.
A arteterapia aplicada em grupos faz com que muitas mulheres se identifiquem através do que as outras estão produzindo. Somente uma mulher pode compreender a fundo as dores, desejos e necessidades da outra.
O caminho do autoconhecimento em um grupo de mulheres perpassa as expectativas diante da urgência de conhecer a diversidade do corpo e elevar a autoestima sem julgamentos.
Quem mergulha na arteterapia deve estar disposta a investigar tudo que causa inquietude ou interrogações, além de se despir socialmente para adquirir uma nova roupagem, seja da alma em sentido figurado ou do corpo em uma moda mais autoral.
Quando se juntam em terapia, as mulheres têm o poder sensorial da presença e das incertezas umas das outras sem, contudo, serem invasivas. Mesmo em grupo, cada uma deve escolher a melhor conexão de fora para dentro.
A busca pode ser individual, mas o espaço de escuta e de fala está de braços abertos, preparado para o acolhimento emocional, fortalecendo a ideia de que você deve se sentir à vontade para fazer o que quiser e decidir se vale o compartilhamento.
Quando falamos de um grupo de mulheres participantes da arteterapia, sabemos que todas estão desejosas de experienciar coisas novas e procurando pela mesma coisa: se encontrar para ocupar o lugar de direito no mundo.
Há uma identificação instantânea com o momento da vida de cada uma. Com uma terapia livre e desobrigada de seguir um padrão, os diferentes cenários — de mães, empresárias, donas de casa e profissionais — se encontram e se completam, sem interferências, até por que, o estilo de vida e as feridas em cicatrização, não podem ser tratados da mesma maneira.

Por que escolher a arteterapia?

Se você realizar pesquisas sobre o significado da arte, vai encontrar uma resposta bastante familiar para o contexto desse artigo. Se a arte é uma atividade humana desenvolvida a partir da percepção, emoções e ideias para provocar sensações em uma ou mais pessoas, a arteterapia é exatamente do que você precisa.
A diferença é que você só precisa causar o interesse, a provocação e o impacto dentro de si mesma. O espetacular pintor italiano Leonardo da Vinci resumiu bem a arte em uma célebre frase:
Para a arteterapia surtir efeito e a transformação acontecer, você precisa se conhecer melhor e aprender a se gostar valorizando suas características únicas. Sem isso, os caminhos em círculos nunca darão a chance de explorar novos caminhos.
Vale dizer que, nem sempre a chegada é o momento mais feliz de uma viagem. A estrada oferece paisagens deslumbrantes, pessoas surpreendentes e longas pausas para a reflexão e, assim, deve ser percorrida sem pressa.
São esses os elementos essenciais para fazer com que você, tão logo chegue ao destino, tenha o desejo de preparar o próximo roteiro para novas descobertas.
Nesse sentido, é exatamente o que a arteterapia propõe: que você seja inquieta, viajante em seu universo íntimo, sem medo de errar o caminho, até por que se isso acontecer basta voltar e pegar a próxima via.

Gostou do artigo? Que tal deixar um comentário neste post e compartilhar com a gente e nossos leitores o que você pensa sobre o assunto? Certamente sua mensagem será gratificante, estimulando outras mulheres a fazer o mesmo!

Você também pode se interessar…

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Share This